The Sun Must Never Touchy Your Skin...

xx Camila Lobo. 30s. 40s. 60s. 80s. Animals. Art. Architecture. Astronomy. Blasphemia. Cartoons. Cinema. Culture. Darkness. English Music – or more. Human. JESUS. Lust. Nature. World War II. Nostalgia. Fashion. Heroes. Paradises. Texts. Vintage. xx

anabungo:

Dezanove e cinquenta e seis minutos. Marcos tocou a campainha. Já imaginava que ele se acompanhava de mais uma mentira. E como durante muitos meses sujeitei o meu coração à humilhação e ao desprezo, agora ele pouco reage às mais falsas palavras. Ele habitou-se com pouco como consequência do que recebeu do Marcos. Abri a porta e perguntei-lhe o que ele queria e porquê ainda procurava-me.

Marcos tem um metro e setenta e cinco centímetros de altura. Dez centímetros acima de mim. Para beija-lo, eu tinha de equilibrar-me nas pontas dos pés e abraçar-lhe à volta do pescoço. Era romântico somente naquele instante. Conheci-o quando enfrentava uma separação amorosa de uma relação que durou dois anos. Temia que esta decepção engolisse, para sempre, a minha vontade de amar. Mas encantei-me pela maneira como ele abraçou as minhas inquietações e permiti-nos explorar a beleza de cada momento nosso. Aceitei seus beijos sem compromisso em lugares de baixo prestígio. Deixei-lhe conhecer a textura do meu corpo sem estabelecer nenhuma relação sólida com ele. Receava que a angústia do amor passado me impedisse de acreditar no brilho do dia seguinte. Este pensamento conduziu-me às experiências mais profundas com o Marcos. Envolvi-me, perdi-me nas suas graças e comecei a amá-lo. Ele dizia-me que eu era o seu maior troféu porque jamais tinha beijado um coração severamente magoado que ainda aguentava-se em pé.
Seis meses após constante interacção diária, beijos fora de hora, contacto corporal mais frequente do que o habitual, sugeri-lhe que tornássemos a nossa relação séria. Já era hora de conhecer os seus familiares e amigos mais próximos. A adrenalina do nosso segredo já tinha perdido a sua graça.
- Má hora! Impus limites muito tarde. Ele já conhece as minhas fantasias, algumas angústias e um bom número de prazeres meus - o meu pensamento gritava, agoniado.
Marcos insistia que a sua zona de conforto era o anonimato. O silêncio das más bocas. Ele fez-me acreditar que uma relação assumida impede o casal de explorar as suas loucuras porque torna-se conhecida por todos. O meu coração apaixonado rendeu-se às condições do Marcos.

- Porque ele não se envaidece por ter-me na sua vida? Será que as suas palavras condizem com os seus sentimentos? - o meu pensamento questionava-se inúmeras vezes por dia.

Mais seis se passaram e rumores diziam que Marcos já levava uma outra mulher para a sua casa. Essa mesma mulher conheceu os seus irmãos, primos e tios. Pessoas a quem eu nunca fui apresentada.

Dezanove e cinquenta e seis minutos. Marcos tocou a campainha. Eu saía do banho quando ouvi o som da campainha. Sabia que era ele. Dirigi-me para a porta e pedi-lhe que tivéssemos a conversa exactamente onde estávamos. Ele implorou-me para que lhe permitisse entrar e a razão pouco agiu naquele momento. Deixei-o entrar. Aceitei o seu toque. Caí no ritmo do nosso envolvimento. Mas minutos antes, quando ainda sentia o poder da razão, eu disse-lhe:

- Não preciso que digas mais nada. Guarda as tuas palavras para a tal nova mulher com quem andas. Chega desta humilhação! Deslumbraste-me com o teu jogo e fizeste-me acreditar nas tuas falsas afirmações. Mantiveste-me em segredo durante muito tempo para depois te envaideceres com uma outra mulher. E as rosas que nunca me deste? E o abraço quente que nunca me ofereceste? Porque nunca fizeste amor comigo? Como implorei que me tocasses com leveza e suavidade para que conhecesses cada detalhe do meu corpo! A minha aflição elevava o teu ego. Sentias-te superior ao saber que eu me reduzia por ti. E os beijos em público que nunca me deste? Porque não sou o teu motivo de vaidade? Iludi-me, iludiste-me.

Não me mantive firme perante as minhas palavras e derramei a minha dor nos nossos desejos. Saboreei-lhe intensamente e pedi-lhe que não me contasse a sua versão dos rumores. Eu sabia que ele negaria tudo. Aconselhei-lhe a resolver-se com a tal mulher e eu estava disposta a fechar os olhos para os acontecimentos anteriores.
Marcos continuou com a sua vida livre e sem escrúpulo. Suportei suas novelas durante três meses e a fragilidade do meu coração, aos poucos, gerava um sentimento de repulsa. Rejeitava a acreditar que o homem a quem doei o meu todo, desfilava descaradamente com uma outra mulher.

O sentimento de repulsa fez-se sentir numa tarde de tempo frio, quando, de costas para ele, eu ordenei-o:

- Hoje quero pedir-te que te vás. Vai e permite-me ser quem eu era antes de te conhecer. Quero que abras aquela porta e te despeças de nós, da nossa história e das nossas lembranças de uma vez por todas. Iludiste-me, seduziste-me e despiste-me de uma forma tão cruel que envolveste não só o meu corpo mas também a minha alma e a minha integridade. Pisoteaste-me quando afirmaste que jamais me amarias. Então vai e permite-me conhecer esse tal amor verdadeiro de que muitos falam. Eu julguei que o envolvimento entre dois corpos uni-se a paixão ao amor, até descobrir que os desejos do corpo são superficiais quando comparados com os desejos da alma. Agora sei porquê arranhavas as minhas costas nos momentos íntimos e te desinteressavas com a minha dor logo após. A resposta sempre teve nas tuas acções, mas eu não via. O teu corpo só desejava um outro corpo, não necessariamente o meu. Podia ter sido uma outra mulher no meu lugar. Perdi-me no teu encanto superficial e aceitei o pouco que me ofereceste. Já perdi a pureza do meu corpo, mas ainda espero viver este amor tão profundo.

"Esta história foi inspirada numa conversa com uma mulher que viveu e sentiu na pele a dor da traição. Agradeço-te por teres sido tão aberta comigo. Histórias reais dão sempre um toque especial na criatividade".

Texto: anabungo
Fotografia: Luaty

rantmuffin:

I LOVE SAILOR JUPITER

(via notformyex)

hoppypolla:

Kate Moss by Hedi Slimane

(via danaboulos)

coffeeandcockatiels:

evanescentmuse:

thesassylorax:

laughterbynight:

zooophagous:

holy shit cows are huge

and very sweet and rather smart compared to the credit they’re normally given.

i love when people realize how huge and sweet cows are/can be

help omg <3

I love this so much. I want to lazily chill in a barn with cows.

(via eyehategawd)